Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009

Consequencias sobre a asma.

 

Consequências

Os medicamentos para a asma podem prejudicar a gravidez ou o feto?

Muitas asmáticas, por medo e às vezes por má orientação clínica, suspendem a medicação com a qual estavam controladas, o que leva a um agravamento com aparecimento de crises agudas. Actualmente, sabe-se que apresenta maior risco para a mãe e para o feto uma asma mal controlada do que do uso dos medicamentos que a controlam.

Inúmeros estudos têm demonstrado que é geralmente seguro usar beta-agonistas, particularmente por via inalatória, e corticosteróides por via inalatória. Existe alguma controvérsia no que respeita à teofilina, sobretudo em relação à incidência de pré-eclampsia, mas na maioria das doentes não parece existir este efeito. Quanto aos fármacos mais temidos pelas grávidas - os corticosteróides por via oral ou injectável - o seu uso prolongado em doses elevadas tem sido associado a aumento de risco de diabetes gestacional, pré-eclampsia e atraso do crescimento do feto. No entanto, se a sua utilização é indispensável para controlar a asma, não deve haver hesitações, pois pior para a mãe e para o feto é a baixa de oxigénio no sangue que pode resultar de crises sucessivas. Deve encontrar-se a dose mais baixa possível (aumentando as doses dos corticóides inalados), administrando-os numa toma única matinal e, se possível, em dias alternados.

Relativamente à imunoterapia, se a doente estiver a fazer doses fixas de manutenção não existem razões para suspender. Mas nunca deve iniciar imunoterapia durante a gestação nem prossegui-la quando está ainda a ser aplicada em doses progressivas. Se durante a gravidez surgirem infecções respiratórias, estas podem ser tratadas com os antibióticos considerados seguros nesta situação. Também se devem evitar os anti-histamínicos nos três primeiros meses e os descongestionantes nasais.

publicado por Asma8c às 09:11
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009

Uma rapariga com a crise da asma.

 

A asma é uma doença inflamatória crónica das vias áreas [1], que resulta na redução ou até mesmo obstrução no fluxo de ar. Sua fisiopatologia está relacionada a interacção entre factores genéticos e ambientais [1] que se manifestam como crises de falta de ar devido ao edema da mucosa brônquica, a hiperprodução de muco nas vias aéreas e a contracção da musculatura lisa das vias aéreas, com consequente diminuição de seu diâmetro (broncoespasmo).
 As crises são caracterizadas por vários sintomas como: dispneia, tosse e sibilos, principalmente à noite. O estreitamento das vias aéreas é geralmente reversível porém, em pacientes com asma crónica, a inflamação pode determinar obstrução irreversível ao fluxo aéreo. As características patológicas incluem a presença de células inflamatórias nas vias aéreas, exsudação de plasma, edema, hipertrofia muscular, rolhas de muco e descamação do epitélio. O diagnóstico é principalmente clínico e o tratamento consta de medidas educativas, drogas que melhorem o fluxo aéreo na crise asmática e anti-inflamatório, principalmente a base de corticóides.

 

publicado por Asma8c às 08:48
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

O numero de pessoas que são afectadas pela asma.

 

A asma afecta perto de 150 milhões de pessoas em todo o mundo. Em Portugal, estima-se que mais de 600 mil pessoas sofram de asma.

O que é?

 

A asma é uma doença inflamatória crónica das vias aéreas que, em indivíduos susceptíveis, origina episódios recorrentes de pieira, dispneia (dificuldade na respiração), aperto torácico e tosse, particularmente nocturna ou no início da manhã.

 

Estes sintomas estão geralmente associados a uma obstrução generalizada, mas variável, das vias aéreas, a qual é reversível espontaneamente ou através de tratamento.

Quem pode ser afectado?

 

A asma pode afectar qualquer pessoa, mas tem maior prevalência na população infantil e juvenil.

Quais são os sintomas?

 

Suspeita-se de asma em presença de historial de um dos seguintes sinais ou sintomas: tosse com predomínio nocturno, pieira recorrente, dificuldade respiratória recorrente e aperto torácico recorrente.

 

Eczema, rinite alérgica, história familiar de asma ou de doença atópica estão frequentemente associados à asma.

 

Uma observação torácica normal não exclui a hipótese de asma.

O que provoca ou pode agravar a asma?

publicado por Asma8c às 09:44
link do post | comentar | favorito

Esta imagem que está abaixo é sobre medicamentos da asma para inalar

publicado por Asma8c às 09:25
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.links

.subscrever feeds